Como obter a devolução do imposto pago na Europa

Por - Categoria: Dicas, Europa

Olá queridos viajantes!

Hoje vamos falar sobre um assunto bem intere$$ante: a devolução do valor do imposto pago nas nossas comprinhas na Europa! Rs! Afinal, quem não gosta de economizar um pouco, não é mesmo?

clip_image002

Exemplos de empresas que intermedeiam essa devolução. As mais comuns são a Global Blue e a Premier Tax Free

Em quase todos os produtos que são comercializados na Europa, incide um imposto chamado de VAT (Value Added Tax) ou IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado). Ele, como ocorre com nossos impostos aqui no Brasil, na maioria das vezes já está “embutido” no preço final oferecido ao consumidor, e sua alíquota varia de país para país (geralmente fica em torno de 20%).

A boa notícia é que nós, estrangeiros não-residentes na União Europeia, temos direito à devolução de parte desse valor! Para ter direito a essa devolução é necessário: a) comprar os produtos em alguma loja “conveniada” ao sistema, pois não é obrigatório para a loja aderir ao Tax Free; b) morar fora da União Europeia (UE); c) deixar a UE, com os bens adquiridos lá, até pelo menos 03 meses depois da data da compra; e d) mostrar os produtos, recibos e formulários preenchidos ao funcionário da alfândega.

Aqui cabe dizer que não é possível obter a devolução do VAT/IVA com a compra de qualquer bem. Por exemplo, o imposto pago nos hotéis, restaurantes etc não é devolvido, assim como o pago na compra de carros, barcos etc. Também não se pode requerer a devolução do imposto sobre os bens usados ou parcialmente usados na sua estada na UE, como perfumes ou afins. Por isso, se você comprar um celular lá, o ideal é que ele esteja novo e sem uso na hora de requerer a devolução do VAT/IVA, para não correr o risco de ficar sem seu dinheirinho. Para saber mais sobre o assunto, clique aqui.

Há um valor mínimo de compra para obter a devolução, e ele varia de país para país. Na Espanha, é de 90,15€, na Inglaterra, salvo engano, é de £36. Esse valor não precisa ser gasto numa única compra, você pode por exemplo juntar os recibos de várias comprinhas na mesma loja até atingir o valor mínimo.

A devolução do imposto pode ser feita em dinheiro ou por meio de um reembolso no seu cartão de crédito, e é a loja em que você fez a compra que te informará melhor sobre quais as suas opções e como isso se efetivará, já que isso varia de acordo com o estabelecimento. O valor devolvido varia de lugar pra lugar, e dependendo do tipo de produto também. Nas vezes que recebi, ele ficou em torno de 10 a 12% do valor da compra. Bom, né? ;)

Mas afinal, como obter essa devolução do VAT/IVA? É fácil, porém um pouco trabalhoso. Vamos a um passo-a-passo!

1) Verifique se a loja em que você está comprando aderiu ao Tax Free. Procure pela marca do programa na vitrine, ou então pergunte a um funcionário se é possível obter a devolução do VAT/IVA.

clip_image003

2) Após a compra, pergunte ao caixa sobre como obter a devolução e faça como ele te indicar; em geral, ou ele mesmo preencherá o formulário de devolução, após checar seu passaporte, ou então te encaminhará para um setor da loja específico pra isso (é o que acontece nas lojas maiores). Ele vai te entregar um envelope com seu recibo e um formulário preenchido, guarde bem!

clip_image005

Formulário preenchido pelo funcionário da loja. Esse é da Global Blue, que neste caso específico foi a empresa que intermediou a devolução.

3) O próximo passo é no aeroporto, na hora de voltar para o Brasil (sempre no seu último aeroporto dentro da UE). Se você fizer compras na França, por exemplo, mas antes de voltar ao Brasil ainda vai para a Espanha, guarde seus envelopinhos. Eles deverão ser mostrados apenas no seu último ponto por lá! Lembre-se de deixar seus bens em local de fácil acesso, pois pode ser que você precise mostrá-los (é regra pedirem pra mostrar, mas isso nem sempre ocorre). Assim, se alguma coisa que você comprou e quer receber o VAT/IVA de volta estiver em mala que vai ser despachada, melhor fazer isso antes do check in, ok?

4) No aeroporto, procure por um guichê da alfândega destinado a isso. Sempre vai ter um monte de placa indicando “VAT Refund” ou “Retorno de IVA”, não é difícil achar! Existem desses guichês antes e depois da área de inspeção e segurança, portanto você pode fazer isso antes ou mesmo depois do check in (mas não esqueça de que terá que mostrar os bens, hein!). Muitas vezes tem uma fila nesses guichês, então chegue um pouco mais cedo do que chegaria no aeroporto (uma meia hora, 45 minutos antes do normal). Lá vão te pedir o passaporte, os formulários, vão olhar os bens e carimbar o formulário, mais nada, é só a “validação” alfandegária.

clip_image006

Envelope contendo o formulário e o recibo da sua compra

Obs.: No site oficial do Aeroporto de Heathrow, em Londres, eles indicam que produtos grandes ou roupas devem ser apresentados nos guichês antes do check in; e que produtos mais valiosos, como relógios, câmeras ou smartphones devem ser apresentados somente após passar pela área de inspeção e segurança. Para saber mais: link. Não sei se isso se estende aos demais aeroportos, mas é bom ficar de olho!

5) Agora, você tem duas opções: a) envia pelo correio o envelope com o seu formulário carimbado (esse envio pode ser feito à própria loja ou a alguma daquelas empresas intermediadoras, tipo Global Blue – sempre de acordo com o que ficou combinado com a loja), e receberá de volta o valor em cheque ou reembolso no seu cartão de crédito;

b) após a inspeção, quando já estiver na área de embarque (com seu formulário carimbado de acordo com o passo anterior, não se esqueça), procure uns guichês específicos para a devolução do valor, os chamados “VAT Cash Refund”… Achar esses guichês também não é difícil, e pode haver mais de um de acordo com a loja que você comprou, ou mesmo a empresa que está fazendo a intermediação.

clip_image008

Guichê específico da Global Blue no aeroporto de Madrid

clip_image010

Guichê de outras empresas, como por exemplo Premier Tax Free e a loja El Corte Inglés, também no aeroporto de Madrid

Ali você entrega em mãos o seu envelope e pode escolher se quer receber o valor em dinheiro, na hora, ou por meio de reembolso no seu cartão de crédito. Caso opte por receber em cash, pode até escolher a moeda, mas saiba que as taxas de conversão não são muito amigáveis. O melhor é receber mesmo na moeda do país, ou se isso não for vantajoso pra você (caso seja, por exemplo, uma moeda que você não vai usar de novo tão cedo), vale a pena pedir estorno no cartão. Nesse caso eles cobram uma pequena taxa e tem um prazo de até 30 dias pra fazer a devolução, mas não se preocupe, você fica com um comprovante da transação e um telefone para contato caso o reembolso por ventura não ocorra no prazo acertado.

Pronto! Agora você já tem o dinheirinho de volta pra gastar como quiser… quem sabe numa próxima viagem??? :)

Ah! Uma última informação: nessa nossa última ida à Espanha a moça do guichê da Global Blue nos ofereceu um cartão da companhia, que funcionaria como um pré-pago; segundo ela, sempre que viajarmos à União Europeia e a loja em que fizermos compras utilizar os serviços da Global Blue, o valor do imposto devolvido pode ser imediatamente creditado nesse cartão, sem toda essa burocracia que eu acabei de comentar acima. Não sei se funciona, pois ainda não usei, mas como era de graça o cartão, aceitei. Vamos ver se funciona mesmo numa próxima viagem!

clip_image012

Cartão pré-pago da Global Blue, para crédito do valor do VAT/IVA devolvido

E vocês, já receberam o dinheiro do VAT/IVA de volta? Foi fácil? Conte-nos sua experiência, quanto mais soubermos sobre esse assunto melhor!

Comments

comments