Cuba – Varadero

Por - Categoria: América Central, Cuba

Olá queridos viajantes!

Hoje vamos falar de Varadero, considerada, por muitos, uma das cidades com as praias mais bonitas do mundo! Varadero é uma cidade da Província de Matanzas, em Cuba, e fica a cerca de 140 km da capital, Havana. É, digamos assim, o último resquício capitalista dentro do país, com sua boa infra-estrutura, resorts, atividades esportivas… muitas vezes nem parece que estamos naquela mesma Cuba de Fidel, de que tanto falamos nos posts anteriores.

Pra começar preciso deixar uma coisa bem clara: a maioria das informações que eu vou dar aqui são baseadas nas minhas pesquisas pré-viagem, e não necessariamente em passeios ou experiências que eu mesma vivi. Isso porque minha ida a Varadero foi sem dúvida a viagem mais micada da minha vida, sabem quando tudo dá errado? Pois então! Vou primeiro contar meus suplícios e depois coloco as dicas que eu tinha anotadas pra fazer por lá, ok? Hehe!

Nós havíamos fechado o pacote com uma agência voltada para o turismo em Cuba (que nos atendeu perfeitamente em todos os momentos), e nesse pacote estava previsto o transporte de Havana a Varadero de ônibus. No dia marcado o motorista foi nos buscar no hotel de Havana, tudo certinho. O dia estava meio feioso, nublado, mas parecia que ia abrir um sol! Oba! Vamos a la playa, ô, ô, ô!  A viagem até lá foi tranquilíssima, mas, pra nossa decepção, o tempo fechou de vez. E assim ficou por todos os 4 dias que passamos lá. Dias nublados, pancadas de chuva, e, o pior: vento e frio! Todos os garçons e funcionários do resort nos diziam que era a semana mais fria em 60 anos… muita “sorte”.

A Varadero da internet versus a “minha”... São Pedro não colaborou comigo. Mesmo assim, a cor do mar impressiona!

A Varadero da internet versus a “minha”… São Pedro não colaborou comigo. Mesmo assim, a cor do mar impressiona!

Como nós fechamos nossa viagem em cima da hora, não tivemos muita opção de escolha do resort, havia poucas vagas disponíveis que cabiam dentro do nosso orçamento… Porque nos resorts mais chiques ainda tinha lugar, mas eles estavam enfiando a faca! Tivemos que nos contentar com o Meliá Sol Palmeras, a linha mais simples da famosa rede hoteleira. O resort era bem fraquinho, pequeno, a praia particular dele era pequena também, mas tudo bem. Os quartos eram bons, limpinhos e os funcionários bem educados, então tá valendo!

Mas aí veio mais um problema: como fechamos no esquema all inclusive, nossa maioria esmagadora de refeições seria feita no hotel. Havia o restaurante do povão, aquele que todo mundo pode ir sem reserva, e também havia aqueles diferentosos, “temáticos”, que você tem que reservar horário pra poder comer neles. Normal, é quase sempre assim. Na nossa primeira refeição no bandejão, um almoço, ficamos encantados: muita variedade, frutos do mar à vontade (eu amo!), uau!!! Já me animei, porque já que tava chovendo e não tínhamos mais nada pra fazer, pelo menos eu ia comer até dizer chega!!! Rs

Mas na primeira garfada já veio aquela decepçãozinha básica, tinha um monte de coisa bacana, mas nada era gostoso DE VERDADE, sacam? Eles tinham vários “produtos” incríveis ali, à disposição, mas parece que o preparo não era dos melhores… Fiquei triste. Mas triste de verdade eu ficaria horas depois, quando aquela comida começou a me fazer MUITO mal e eu tive a pior infecção alimentar da minha vida. Passei os dois dias seguintes vomitando, sem poder comer muita coisa, com medo de piorar e ter que sair à procura de um hospital ou consultório médico. Graças a Deus, as restrições alimentares que eu me impus e o soro caseiro que meu namorado fofo fazia pra mim surtiram efeito, e no terceiro dia eu já estava bem melhor!

Sol Palmeras: fraquinho, não indico. Na cidade existem opções de resort bem melhores, não vale a pena economizar nisso não!

Sol Palmeras: fraquinho, não indico. Na cidade existem opções de resort bem melhores, não vale a pena economizar nisso não!

Eu melhorei, mas o tempo não. Logo, nossos passeios esperados nem estavam ocorrendo, o mar estava “fechado” de verdade… Pra vocês terem ideia, no último dia nosso amigo correu pro mar pra pelo menos “molhar a bunda no mar do Caribe”, mas imediatamente veio um salva-vidas desesperado e não deixou que ele entrasse de jeito nenhum! Proibiu mesmo, sem dar chance pra um contrapedido! E sempre que íamos à praia era com um casaquinho a tiracolo. Triste.

Por tudo isso, fizemos pouquíssimos passeios. Fomos até o centrinho comercial da cidade, onde estão alguns restaurantes, feira de artesanato, e também a Casa do Rum – onde vendem rum de várias marcas, e a preços bons. Eu comprei vários Havana Club, tenho em casa até hoje… hehe! Ali tem também uma boa La casa del Habano, com charutos a preços similares aos praticados em Havana, e também com boa variedade de marcas e tipos.

Casa do Rum, na Avenida Principal de Varadero

Casa do Rum, na Avenida Principal de Varadero

Para passear pela cidade, pode-se usar os ônibus turísticos, chamados gua-gua, que passam pela cidade inteira (foi o que utilizamos). Em Varadero, você vai ver que há um monte de agenciazinhas oferecendo as mais variadas atividades (dentro dos hotéis também há a oferta dos passeios, claro) como saídas de barco, mergulhos (o mar é incrivelmente transparente, uma lindeza), passeios às muitas grutas e cavernas que têm por lá (as mais famosas são Ambrosio e Musulmanes), saltos de paraquedas etc. Nem preciso dizer que muitos desses passeios nem estavam sendo oferecidos quando fomos, e mesmo os que estavam, optamos por não fazer por causa do tempo bem feio.

Pra quem curte golfe, dizem que lá é o paraíso também, pois tem um excelente clube, o Varadero International Golf Club. Como eu não entendo NADA do esporte e muito menos tenho como saber se um campo desses é bom, não posso falar muita coisa a respeito… rs. Já para os amantes da natureza que querem passar um dia gostoso em família, uma boa pedida é o Parque Josone, um parque com bastante verde, lago artificial, piscina pública e opções de restaurantes e entretenimento. Os restaurantes bem indicados de lá, pelo que havia pesquisado, são o La Campana, especializado em comida cubana tradicional, e o El Retiro, especialista em lagostas. A entrada do parque é gratuita, mas pra entrar na piscina ou assistir algum espetáculo tem que pagar. Na cidade tem também o Delfinario, um aquário de golfinhos com shows e onde você pode até nadar com os lindinhos. Imagino que seja um passeio bem legal, principalmente pra quem for com crianças, aposto que elas vão amar!

Uma curiosidade: em Varadero, existem algumas mansões famosas, como a que pertenceu ao milionário francês Dupont (a Mansão Xanadu) e ao conhecido mafioso Al Capone (sim, Al Capone tinha casa lá!). Essas mansões foram confiscadas pelo governo na década de 60 e transformadas em sua maioria em restaurantes ou hotéis… você pode usar o gua-gua para visita-las, eles passam por elas! A Mansão Xanadu foi transformada no Restaurante Las Americas, um dos mais famosos e luxuosos da cidade.

Por fim, não posso dar muitas dicas de restaurantes e baladinhas, porque passei muito tempo dentro do – fraco – hotel e lá fiz praticamente todas as minhas – também fracas – refeições, e acabei não tendo ânimo pra curtir o que a cidade oferecia. O único restaurante que fomos fora chama-se La Vicaría, é super bem recomendado, especializado em camarões e lagostas, e a comida estava bem gostosa. E não era caro não!!! Um outro restaurante que haviam nos indicado, mas não fomos é o La Cabañita (peixes, frutos do mar).

No quesito baladinhas, nos indicaram basicamente três como sendo as melhores: 1) La Tropicana: um típico cabaret, com muita mulher, salsa, mambo e etc. É bem famoso por lá!!! 2) Bar Mirador: fica na Mansão Dupont, no piso mais alto. É mais uma baladinha mesmo, estilo discoteca… nossos amigos foram e disseram que estava bem miada, tinha meia dúzia de gatos pingados, mas o tempo tava tão zoado que imagino que muita gente não teve coragem de sair… talvez em dias mais bonitos o agito seja maior; 3) Mambo Club: baile de música latina, com bastante shows ao vivo, danças etc.

Bem, gente, é isso! Aqui eu tentei falar das principais atrações da cidade, uma pena que eu mesma não tenha conseguido ir em quase nenhuma. Mas nem por isso acho que não vale a pena ir pra lá, só recomendo fortemente a quem quiser ir que se esforce ao máximo pra ficar nos melhores resorts, com as melhores estruturas e os melhores reviews. Fujam do Sol Palmeras, ele é um barato que sai caro… rs. E pesquisem bastante a época em que pretendem ir, porque um céu azul e temperatura mais alta serão fundamentais pra sua diversão por lá! Afinal, ir a Varadero e só poder ver de longe aquela água limpíssima e com o azul mais lindo do mundo é pecado!

(Observação: Cuba tem outras praias famosíssimas. Uma que sempre ouço falar as maiores maravilhas é Cayo Largo, que dizem ser ainda mais bela que Varadero. Se quiserem se aventurar por lá, só têm que saber que não tem a mesma estrutura que Varadero, mas dizem que vale muito a pena! Se forem mesmo, ou se já tiverem ido, não esqueçam de vir contar pra gente a experiência!)

Um grande beijo e até o próximo post!

Ah! Se você perdeu os posts anteriores sobre o país, veja aqui:

Cuba – Introdução

Havana – O que fazer

Havana – Onde comer

Comments

comments